Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tempera com Sol

Tempera com Sol

Compota caseira: truques e dicas

Como fazer compota mais saudável e mais durável

23.06.20, Tempera com Sol

Se só gosta de compota muito doce, então pare aqui!

Na minha casa não se come compotas todos os dias, nem todas as semanas, mas gostamos de ter uns frascos guardados, para barrar o pão, tostas, bolachas ou mesmo para sobremesa.

Até há alguns anos, havia uma coisa que me desagradava nas compotas em geral e, por causa disso, sentia um enorme desinteresse por fazer as minhas: o excesso de açúcar! Cedo percebi que se cortasse no açúcar, perderia em conservação. Achava que estava num impasse e jamais conseguiria conciliar as duas qualidades, até que encontrei dois truques na internet (desculpem, não consigo lembrar-me das fontes, não registei e já lá vai muito tempo). Fui experimentando e adaptando, até conseguir fazer as minhas compotas bem menos doces e, mesmo assim, conservar durante uns meses ou mais de um ano, pelo menos, enquanto o frasco não é aberto.

O primeiro truque é esterilizar os frascos e as tampas. Comecei por ferver numa panela, mas a manipulação sem contaminação era muito complicada. Depois, descobri a estratégia de levar ao forno a 100 graus durante 20 a 30 minutos, enquanto as tampas eram esterilizadas com uma bebida alcoólica branca. Com o tempo, abandonei a segunda parte desta técnica e comecei a introduzir as tampas metálicas ao lado dos frascos no mesmo tabuleiro no forno. Mais rápido e mais fácil!

O segundo truque é encher o frasco com a compota quente, acabada de fazer, fechar bem e virar o frasco ao contrário, para criar vácuo.

Três outras regras nas minhas compotas: o açúcar é amarelo ou mascavado, não ultrapassa 1/3 do peso da fruta (até pode ser menos, se for fruta bem doce) e todas levam pau de canela.

Para acabar, mais um truque (ou batota). Como não tenho paciência para ficar horas a volta de uma panela, logo que a fruta comece a parecer cozida, dou uma ajuda com a varinha mágica e depois deixo ferver só mais um bocadinho para ganhar ponto. Posso dizer que já experimentei este truque (e os outros) com várias compotas: cereja, morango, framboesa, amora, mistura de frutos vermelhos, ameixa, pera, pêssego, kiwi e abacaxi.

E depois dos truques, fica aqui o registo da abertura da época de primavera/verão!

compota.jpg

 

Dica 1: As compotas são ótimas para diminuir o desperdício alimentar, aproveitando fruta em excesso. Foi assim que nasceu a minha primeira compota caseira.

Dica 2: Sempre que possível, as frutas são usadas com casca.

Dica 3: Com estes truques e regras poupa tempo, energia, açúcar e conserva a compota por mais tempo.

2 comentários

Comentar post